Poder nutricional do mel

O mel é um alimento produzido pelas abelhas a partir do néctar de flores. Ele é constituído por diferentes açúcares, além de teores de proteínas, aminoácidos, enzimas, minerais, sacarose, maltose e outras substâncias, como leveduras e algas.

É o único produto doce que contém proteínas e diversos sais minerais essenciais à nossa saúde, como cálcio, magnésio, fósforo, potássio e zinco; além de flavonoides, que são compostos que atuam no organismo como antioxidantes.

 Quanto mais escuro, maior a concentração de minerais; e, quanto mais claro, maior a concentração de vitamina C. Também tem alto valor energético e propriedades medicinais com ação antibacteriana.

Confiras algumas de suas propriedades nutricionais e terapêuticas:

  • Combate doenças das vias respiratórias, como tosse e inflamação na garganta.
  • A inibina age como antibiótico natural com ação antisséptica, anti-inflamatória e antimicrobiana.
  • Melhora o funcionamento do intestino por conta da presença das fibras solúveis.
  • É fonte de energia por conter alto teor de açúcares.
  • Tem ação prebiótica, agindo beneficamente sobre a flora intestinal.
  • É rico em antioxidantes, sendo capaz de proteger as células do envelhecimento precoce e de regular os níveis de triglicerídeos e colesterol, diminuindo o acúmulo de gordura nas artérias e o risco de desenvolvimento de doenças cardíacas. Além disso, por ser antioxidante, auxilia a diminuir a pressão sanguínea.
  • Tem propriedades que reduzem o tempo de cicatrização, pois é capaz de esterilizar feridas, reduzindo a dor, o cheiro e o tamanho.
  • Em substituição ao açúcar, vem sendo associado à melhora dos níveis de ansiedade.
  • Contribui para o controle do açúcar e da gordura no sangue, reduzindo o estado inflamatório e auxiliando na manutenção de peso.

Confira as informações nutricionais do mel para 100 g e para 1 colher de chá (6 g):

Componente 100 g de mel 1 colher de sopa de mel (6 g)
Calorias 309 kcal 18,6 kcal
Carboidratos 84 g 5 g
Cálcio 10,2 mg 0,6 mg
Vitamina C 0,7 mg 0 mg
Magnésio 5,5 mg 0,3 mg
Ferro 0,3 mg 0 mg
Potássio 99,3 mg 6 mg
Zinco 0,2 mg 0 mg
Sódio 6 mg 0,4 mg
Glicose 31 g 1,86 g
Frutose 38 g 2,28 g

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), a recomendação é consumir no máximo 50 g/dia.

O mel tem características distintas quanto à cor, ao sabor e ao aroma de acordo com a flor que fornece o néctar. Os mais conhecidos são:

  • Mel de laranjeira: de cor clara e sabor suave, auxilia no tratamento de distúrbios intestinais. Também pode ser utilizado como tranquilizante natural.
  • Mel de eucalipto: tem sabor mais forte e coloração mais escura devido à maior concentração de ferro, magnésio, cálcio e enxofre. É indicado para tosses, resfriados, sinusite, irritação da garganta e bronquite.
  • Mel silvestre: proveniente de diversas flores, tem sabor suave e propriedades calmantes, desintoxicantes e fortificantes.
  • Mel de assa-peixe: apresenta cor escura e efeito calmante e expectorante.
  • Mel de cipó-uva: tem coloração mais clara e ação antioxidante, especialmente para o fígado.

Deve ser conservado em ambiente seco, longe da umidade e, de preferência, longe da luz e do calor para evitar sua degradação.

Mas atenção: o mel não é aconselhado para crianças até 3 anos de idade devido à possibilidade de o intestino, ainda não totalmente formado, não impedir a entrada de microorganismos presentes no mel.

Também é preciso que diabéticos tenham atenção ao consumo, pois o mel contém açúcares simples que aumentam a glicemia do sangue.