Dia Nacional do Queijo

Quem não gosta de queijo?

O queijo é um dos alimentos mais versáteis que existem pois pode compor pratos doces ou salgados. Com mais de 10 mil anos, sua origem é desconhecida, mas há uma lenda muito difundida de que o alimento foi produzido acidentalmente.
Na Europa, a produção e o consumo foram difundidos pelos romanos, entretanto, com o fim do império, vários locais desenvolveram diversas técnicas próprias e, assim, novos sabores. A produção requer muita técnica, mas consiste basicamente na concentração do leite por meio da eliminação de água, tornando o volume reduzido. Apesar de a matéria-prima ser o leite, o tipo de animal que o produz influencia no sabor final do queijo, sendo as produções mais comuns com leite de vaca, búfala, cabra e ovelha.
No Brasil, é bastante consumido, sendo principais os tipos muçarela e prato. Devido à textura macia e ao sabor suave, são utilizados em lanches. Normalmente se classifica de acordo com o sabor e a textura. Os macios são muçarela – como já falamos –, camembert e brie. Já com textura mais densa temos gouda, provolone e gruyère. Os mais firmes são, por exemplo, parmesão e grana padano. E os azuis, como gorgonzola e roquefort.
Os queijos são ricos em proteínas, vitaminas (como A, B2, B12) e minerais (como o zinco e o selênio), assim oferecem diversos benefícios para a saúde, sendo indicado o seu consumo com frequência. Além disso, são ótimas fontes de cálcio, o que garante a saúde dos ossos.
Para quem quiser experimentar, o ideal é acrescentar em uma tábua algumas variedades com acompanhamentos, como mel, geleias, pães, frutas e azeites. Vinhos e espumantes são ótimas bebidas para harmonizar.
Geralmente, uma pessoa consome cerca de 100 a 120 gramas de queijo, e é importante tirá-lo da geladeira pelo menos uma hora antes de servir, pois esse alimento deve ser consumido em temperatura ambiente.